Buscar
  • Vânia Cavalcante

O QUE É SUPER-ROGAÇÃO OU SUPRA ROGAÇÃO?

Atualizado: Mai 7


Alguns membros do Apostolado Ascetismo Cristão ( são todos aqueles que usam nossos sacramentais e são orientados por este Apostolado), se acostumaram a ouvir este termo referente ao uso do cilicio e ou da disciplina :


“O uso do cilicio é uma penitência da classe de super-rogação”, eu repito sempre.


Traduzindo em minhas palavras:


É aquele “algo a mais”, que você faz para Deus, aquela penitência que não é proibida pela igreja, mas também não é obrigatória e que você faz por amor a Deus. Você faz para deixar de pecar, para ficar mais forte diante das tentações. Todos os santos praticaram este tipo de penitência. Sempre foi algo inerente na busca pela santidade.


Traduzindo em estudos mais amplos e eruditos:


Super-rogação é o termo técnico para a classe de ações que vão "além da chamada do dever". Grosso modo, atos super-rogatórios são moralmente bons, embora não (estritamente) necessários. Embora o discurso comum na maioria das culturas permita tais atos e frequentemente atribua valor especial a eles, as teorias éticas raramente discutem essa categoria de ações direta e sistematicamente. Uma exceção notável é a tradição católica romana, que deu origem ao conceito de super-rogação e aos ataques virulentos a ela por luteranos e calvinistas. Surpreendentemente, a história da supererrogação na teoria ética não religiosa é bastante recente, começando apenas em 1958 com o artigo seminal de JO Urmson, “Saints and Heroes”( Santos e Herois).


No Novo Testamento na parábola do Bom Samaritano, temos um exemplo emblemático da prática super-rogatória. Embora muitas vezes acreditemos que o Bom Samaritanismo é louvável e não obrigatório ao mesmo tempo, a reflexão filosófica levanta a questão de saber se pode haver quaisquer ações moralmente boas que não sejam moralmente exigidas, e mesmo se houver tais ações, por que elas são opcionais ou super-rogatório.

A exposição mais articulada da doutrina da super-rogação na tradição cristã é encontrada em SãoTomás de Aquino ( Summa Theologica)

São Thomas menciona duas fontes distintas de mérito de comportamento super-rogatório. Por um lado, a super-rogação serve como um meio mais expedito ou garantido de alcançar a vida eterna; por outro, é intrinsecamente bom por visar fins mais elevados do que o mero cumprimento dos mandamentos.


Consultas:

stanford.edu/entries/supe-rogation/


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo